Mês de Agosto – Mês das Vocações

Mês de Agosto – Mês das Vocações

Na Igreja, a vocação é um chamado a uma relação pessoal com Deus no amor.

No centro de toda vida espiritual que se desenvolve na Igreja está a vocação universal à santidade. A partir dela abre-se o leque da diversidade de vocações eclesiais. Estas podem abranger os seguintes caminhos:

A vocação leiga: especialmente neste ano do laicato se destaca esta vocação como vivencia da plenitude da graça batismal. Os leigos são chamados a ser fermento na massa, isto é, animar e formar no mundo o evangelho pelo testemunho de vida e pela ação na caridade e fraternidade. Os leigos devem ser sinal de Cristo no mundo. Estão eles na Igreja e no mundo como o fermento na massa para que cresça e se manifestem os sinais do Reino de Cristo já neste mundo, apontando para o céu. Devem ser exemplo e sinal de Cristo no mundo do trabalho, de toda vida civil, da política. De maneira especial são chamados a formar uma verdadeira família que imite a Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José. Ali está a base da Igreja. Ali e vive o amor, a fidelidade, a geração da vida e a educação nos valores humanos e evangélicos. Ali está a catequese, a luta diária, o amor.

A vocação missionária: leigos, consagrados e ordenados levam a boa nova de Cristo para estender o seu reino no mundo e chamar todas as pessoas à conversão e à vida evangélica.

A vocação religiosa: leigos que consagram suas vidas nos preceitos evangélicos de pobreza, obediência e castidade para ser semente fértil no campo do mundo. Cada um numa família religiosa com seus carismas próprios: missão, educação, saúde, paróquias, vida contemplativa, testemunham o amor a Cristo indo ao encontro dos irmãos aos quais Deus quer se revelar e chamar a participar da plenitude do reino do seu Filho bem amado Jesus Cristo. [destacamos em nossa paróquia as irmãs franciscanas que vivem o anúncio do Evangelho primeiramente aos pequeninos do Reino na Creche Walter Figueiredo].

A vocação sacerdotal: homens que são chamados por Cristo para serem sinais de sua pessoa e presença no mundo e na Igreja através do ensino [anuncio da Palavra] e da santificação [celebração dos sacramentos] ajudando assim a construir a Igreja para que a graça de Deus se manifeste ao mundo. São João Paulo II lembra que a principal missão do sacerdote é “anunciar o Evangelho e celebrar os Sacramentos”.

Cada uma das vocações na Igreja caracteriza um modo peculiar de ser na Igreja.  São respostas específicas ao apelo divino de inserção na dinâmica atuante e contínua do Reino de Deus no mundo.

A vocação não se identifica com a missão. A missão nasce com o batismo. A vocação é mais ampla em seu aspecto pessoal [resposta que o cristão, o batizado, dá a Jesus] e comunitário [a vida da resposta em comunhão plena com a Igreja e sua realidade no mundo]. Mas toda vocação eclesial, como não é individualista, visto que nasce sempre dentro da e na Igreja, se abre à missão, colocando o vocacionado em recíproca relação com a comunhão interna da Igreja.

 

Cfr. Dicionário enciclopédico das religiões.
Ed. Vozes.
Vol. II
Vb. Vocação.

Pe. José Altino Brambilla osb
Pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia em Presidente Prudente

Deixe uma resposta

Fechar Menu